Prefeito Lindomar Dantas firma convênio para a pavimentação de três comunidades do interior do município.

Prefeito Lindomar Dantas firma convênio para a pavimentação de três comunidades do interior do município.

O Prefeito de Uauá, Lindomar Dantas, firmou nesta quarta-feira (31), um convênio com o Governo do Estado da Bahia, através de emenda do Deputado Estadual Zó (PCdoB), que assegura o recurso de R$ 700 mil para viabilizar obras de pavimentação em três importantes comunidades do interior do município. A cerimônia de assinatura do convênio aconteceu no auditório da Secretaria de Infraestrutura (SEINFRA), em Salvador-BA, e contou com a presença do Governador Rui Costa, do ex-governador Jacques Wagner, do Senador Otto Alencar e autoridades no Estado.

O recurso será usado nos projetos de pavimentação das localidades de Sítio do Tomás, Pedra Grande e Santana. A ação é uma conquista histórica para os moradores das comunidades que por décadas se sentiram abandonados pelas gestões que passaram.“Nós que fazemos Governo da Mudança em Uauá, planejamos investir nestas localidades que foram historicamente abandonadas, sem obras e sem serviços que atendessem dignamente aos cidadãos. Estamos muito felizes, agradecemos a todos os nossos parceiros que têm lutado ao nosso lado por melhorais para o povo uauaense. Agradecemos em especial ao Governador Rui Costa e também ao Deputado Estadual Zó do PCdoB pela firme parceria”, destacou o prefeito Lindomar.

Este é o primeiro convênio firmado durante o mandato do prefeito Lindomar Dantas, já que em 2017 o município ficou impossibilitado de pactuar com o governo estadual, devido uma dívida de mais de R$ 208 mil contraída por gestões anteriores junto a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa).

Diante deste entrave, ainda no ano passado, com o objetivo de limpar o nome do município, a administração enviou um projeto de lei para a Câmara de Vereadores, no qual solicitava a autorização para renegociar a dívida, mas infelizmente a bancada de oposição usou de táticas para travar o projeto, aprovando-o já no final do ano com alterações desnecessárias e que comprometiam o desempenho e equilíbrio administrativo-financeiro do município. Com isso, a administração, através de diversos esforços do setor jurídico, conseguiu uma liminar concedida pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) para finalmente poder realizar convênios.